Xamanismo - A Espiritualidade Humana Ancestral > Primordial

Estrela Macrocósmica que Representa a Lei

A ORDEM TEOCRÁTICA NA TERRA

A Ordem Mística de Melki-Tsedek 

 

Eu creio no D'us Primordial que criou o homem e os Deuses,

não no deus criado pelo homem.

O QUE É O XAMÃ

O QUE É O “XAMANISMO”?

 

O Xamanismo é a Espiritualidade Originária neste Planeta Azul do Sistema de Ors, bem como dos milhares de Planetas das muitas Galaxias. É a Espiritualidade Primordial praticada pelo homem, há mais ou menos, 60.000 anos. Seus elementos são: a conexão com o espírito e uma ligação profunda com os elementos da natureza, do Universo e da Criação. Uma conexão com todos o seres vivos. Traços do Xamanismo podem ser encontrados em muitas religiões e tradições, é a mais antiga disciplina religiosa médica e psicológica da humanidade. O Xamã é médico, "trabalha com o corpo e as ervas", é sarcedote "trabalha com rituais e o espírito", é psicológico, "trabalha com a mente". O Xamã trabalha com o Despertar do SER. Trabalha para desenvolver todas as Potencialidades do ser Humano.

Há milhares de anos o homem vem tentando separar D'us de tudo o que existe, fazendo com que ele seja considerado uma unidade separada. Isto não é verdade.

Tudo está no Todo e o Todo está em Tudo.

Disse o Sábio: "D'us está em todas as coisas, nas pessoas (boas ou más), nos objetos, nas plantas, nos animais (até nos microorganismos), na Terra (nos minerais), no ar, na água, nas estrelas, no espaço (aparentemente vazio), enfim, em tudo o que é visível e o que não é visível. Deus é uma tonalidade que permeia todo o Universo, existe antes de tudo e depois de tudo, ele é o começo, o meio e o fim".

Xamã é alguém (seja homem ou mulher) que entra em um estado alterado de consciência por vontade própria, para contactar e utilizar uma realidade oculta. É a viagem da alma para obter o poder do conhecimento oculto.

Utiliza-se de muitas ferramentas Místicas. A Mãe Natureza (o Universo) conspira a seu favor. Animais de poder o cercam, músicas de poder têm a função de conectá-lo aos Espirítos Elementais protetores e seus objetos rituais ajudam a sustentar seu enfoque, no estado Xamânico da consciência. Ele tem o Tambor, o Maracá, as Plantas de Poder (Plantas Enteógenas), as Pedras, etc. O Xamã trabalha em conjunto com as Forças da Natureza para promover a Cura e transmitir o Poder. Veja minha Página "Ayahuaska - Plantas de Poder"

Da Agenda: O XAMÃ

Mircea Eliade, um dos maiores estudiosos do xamanismo, explica que a palavra “xamã” vem da palavra saman do dialeto tungue, aparentada ao termo sânscrito sramana e ao pãli samana, que significam “homem inspirado pelos espíritos”. Como decorrência destes significados, associou-se a idéia do maná a um campo de força e energia sobrenatural inerente a determinados indivíduos ou objetos que mantém alguma relação com o que está oculto e é sagrado. Assim, o xamanismo pode ser entendido como uma prática ritualística que visa adquirir a “força maná” para que seja possível acessar outras realidades diferentes desta que conhecemos.

No geral, os antropólogos, etnólogos e historiadores das religiões consideram o xamanismo como um sistema primitivo de crenças, suplantado e superado pelas religiões hierarquizadas modernas. Entretanto, principalmente desde que Carlos Castañeda tornou público seus aprendizados com um xamã mexicano chamado Dom Juan, um número crescente de pessoas tem procurado ampliar a ligação com o divino por meio daqueles rituais e técnicas “primitivas”, abrindo a consciência para outras realidades, deixando num segundo plano suas dependências para outras realidades, deixando num segundo plano suas dependências espirituais para com os sacerdotes das Igrejas. Em parte, isso decorre da falta de respostas para muitos dos conflitos internos que as pessoas estão enfrentando, porque as Igrejas não apresentam respostas à contento; por outro lado, vão em busca de cura e de experiências espirituais mais “concretas”, ou mesmo de uma fonte de conhecimento sobre ecologia, dada a ênfase nas relações harmoniosas entre o ser humano e o planeta que o xamanismo propõe.

Algumas características distinguem o xamanismo de outros métodos ocidentais de “re-ligação” com o divino. A principal delas é entrar em êxtase e acessar o mundo oculto pela via direta, sem intermediários. Alguns podem denominar este estado diferenciado como um simples “transe”; entretanto, podemos classificá-lo como uma mudança de estado de consciência obtida pela pessoa ao entrar em contato com outras realidades (mundos paralelos a este que conhecemos). Também existem as “viagens”, os “vôos mágicos” (jornadas ou viagens xamânicas) para entrar em contato direto com os “espíritos” (seres pertencentes àquela outra realidade) em busca de diversos tipos de conhecimento, ou mesmo para auxiliar aqueles que chegam ao momento da morte física. Estas são experiências que ocorrem por desdobramento astral ou mental, em estado de vigília ou durante o sonho, com o xamã parcial ou totalmente consciente das situações apresentadas.

O modo como são feitos os rituais também caracteriza o xamanismo. Os xamãs vêm usando desde tempos muito antigos vários tipos de estímulos externos para alcançar estados alterados de consciência: cânticos sagrados, objetos cerimoniais (penas, ossos, garras de animais, cachimbos, pedras e cristais, etc), danças, ingestão de plantas psicoativas, sons (de flautas, apitos, chocalhos, animais), e batidas de tambor. O objetivo disso é deslocar a percepção desta realidade tridimensional e levá-la a se abrir para os mundos internos pertencentes aos universos paralelos. Em outras palavras, é um esforço direcionado a desativar em parte a mente racional para permitir o acesso direto à mente intuitiva, juntamente com o preparo correto das emoções. Quanto aos sons ritmados, sua primeira função é promover uma conexão ao pulsar da Mãe-Terra, integrando assim a pessoa à harmonia da Vida (o que lhe possibilitará encontrar a harmonia que traz a cura), ou para entrar em sintonia com algum espírito que possua este padrão de pulsação, ou mesmo deslizar em harmonia pelos vários corredores dimensionais que existem naturalmente no planeta; uma segunda função é atuar como referencial para que a consciência das pessoas que participam do ritual possa retornar de forma segura aos seus corpos físicos ao término da cerimônia, evitando que se percam nas suas viagens em busca de outras realidades.

Outra característica marcante do xamanismo é a interação direta ou indireta com outros seres da natureza. Nuvens, montanhas, árvores, pedras, ventos, insetos, rios, os animais marinhos e terrestres, a Terra, etc., todos possuem consciência própria e poderes específicos, no entender do xamã. Assim, quando este entra em contato com um espírito de natureza, pode dialogar ou mesmo se fundir a ele, compartilhando da sua força e sabedoria.

Para um homem ou uma mulher ser considerado um xamã (e não somente um curandeiro ou médium), existem seis requisitos básicos que, de certa forma, indicam os dons, o esforço pessoal, e o tempo necessário para uma preparação xamânica completa:

1) Ter a capacidade de ser um conselheiro: saber ajudar os outros a usar seus dons pessoais, sua magia pessoal, e guiá-los por um caminho de vida mais produtivo e em prol do bem comum;

2) Ter o conhecimento da História dos Mundos, da Criação: saber seu lugar dentro do Todo, sua origem e a de seu povo, além de obter o referencial seguro do espaço-tempo no qual vive;

3) Ser um curador físico, emocional, mental e espiritual para um indivíduo, para um grupo ou Nação, ou mesmo para o planeta: conhecer os processos de cura natural da Mãe-Terra por meio das ervas, do contato com a sabedoria dos Animais de Poder, das Direções, das Forças da Natureza, dos Quatro Espíritos Chefes (os Quatro Elementos), do Povo das Estrelas e dos seres que habitam outras realidades;

4) Ter a capacidade de empreender “vôos mágicos”: ser capaz de fazer desdobramento astral ou mental conscientemente (no estado de vigília ou em sonho) toda vez que for necessário, trazendo mensagens especiais ou métodos de cura específicos;

5) Em algum momento da sua vida, transmitir seu conhecimento para outras pessoas: todas as experiências precisam ser compartilhadas para que os processos de cura e a sabedoria dos ancestrais sejam despertados nos corpos e nas mentes de muitos, alterando gradualmente a estrutura da realidade vivenciada por todos nós;

6) Ter penetrado nas próprias trevas interiores, enfrentado e vencido seus medos mais sombrios, após diversas Mortes Rituais: conhecer diretamente a origem da dor e do sofrimento humano traz a compaixão e o Amor Incondicional que a ninguém julga, por descobrir que tudo tem a sua razão de ser como é; também, conhecer tais regiões faz desenvolver habilidades especiais, permitindo lidar com feitiços, magia negra e obsessores, sem se deixar envolver por inseguranças.

Vistos dessa forma, os xamãs são guias espirituais da sua comunidade; são homens e mulheres que seguem uma crença baseada no respeito e interação profunda com a Mãe-Terra; são pessoas que possuem a capacidade de contatar todas as criaturas de luz e sombra e todos os Reinos (inclusive as pertencentes às realidades paralelas às quais têm acesso por meio de estados alterados de consciência) para ajudar a manter o equilíbrio físico, emocional, mental, e espiritual de quaisquer membros da sua sociedade, ou mesmo do planeta como um todo.

O fenômeno xamânico não deveria ser visto como algo sobrenatural ou primitivo (mesmo que muitos dos xamãs ainda vivam longe da civilização em condições precárias, falando e invocando forças numa linguagem com significados e objetivos estranhos para nós). Atualmente, em diferentes culturas se encontram instituições de desenvolvimento espiritual que ensinam como fazer a expansão da consciência durante os desdobramentos astrais ou mentais para contatar as realidades paralelas (às custas de muita disciplina interior e exterior) e como utilizar técnicas de cura das mais variadas (quelações, ervas medicinais, induções mântricas, aromaterapia, radiestesia, etc), além de conduzirem seus discípulos a testes iniciáticos dificílimos, com Mortes Rituais explícitas. Também existem alguns centros de pesquisa (Instituto Monroe, por exemplo) que trabalham há vários anos desenvolvendo métodos – com auxílio de tecnologia moderna ou não – provocando nos voluntários resultados paranormais semelhantes aos “dons xamânicos”, e alguns governos têm trabalhado com “videntes remotos” para a resolução de crimes complexos, ou mesmo para dinamizar a espionagem executando “vôos mágicos”. E esta antiga arte de cura vem sendo estudada por médicos, que introduzem nos seus processos terapêuticos os conhecimentos obtidos dos xamãs, ou procuram aprender com eles a entrar numa comunhão Maior com seus pacientes para obter um diagnóstico mais eficaz. Segundo P. Drouot: “há uma expressão moderna que engloba, todos os estados espirituais, místicos, religiosos, mágicos, parapsicológicos e xamânicos: a experiência transpessoal. A natureza notável da experiência transpessoal torna-se evidente quando a comparamos à nossa percepção cotidiana do mundo com os limites julgados normais e inevitáveis. No estado de vigília, nos percebemos como corpos materiais sólidos. É verdade que somos limitados em nossa percepção do mundo pela gama dos nossos sentidos e pela configuração do meio ambiente. Percebemos então a nós mesmos como um jogo energético ou um campo de consciência conectado a esta entidade viva: a Grande Mãe-Terra.”

Enxergar a nós mesmos como energia nos leva à ciência. Os físicos já reconhecem que o universo tem mais do que três dimensões, com “buracos de minhoca” que podem nos levar a espaços-tempos diferentes, para dimensões diferentes. Quando surgiram as teorias sobre a dualidade onda/partícula da física quântica, alterando profundamente a concepção da natureza da matéria como “blocos básicos” isolados entre si, a idéia do que considerávamos como “sólido” e “real” aos nossos cinco sentidos passou a ser questionada. Em seguida, a composição holográfica do universo se tornou um fato científico e, recentemente, surgiu o conceito matemático da existência de uma interação direta e instantânea entre quaisquer partículas (indo além da realidade de Einstein, na qual a velocidade máxima que uma partícula pode viajar – e interagir – seria a velocidade da luz). Isso nos diz que, em teoria, podemos interagir com qualquer parte do universo instantaneamente, porque funcionamos como uma teia energética viva de acontecimentos simultâneos, interligados e interdependentes, já que tudo e todos somos energia condensada. Os xamãs dos diversos povos já diziam sobre a existência de uma ordem universal em equilíbrio harmonioso; vêm nos ensinando que os pensamentos e comportamentos de cada indivíduo contribuem para o bem-estar ou mal-estar da sociedade e do planeta; afirmam há muito a existência de uma “rede”, de uma “teia de aranha” que tudo coordena e que nos permite contatar um número maior de experiências, ou mesmo todo o universo. Portanto podemos estar com a nossa consciência aqui e em outro lugar, simultaneamente.

Como resultado desta múltipla amplificação do ponto de vista sobre o xamanismo, podemos dizer que, se até pouco tempo atrás os xamãs viviam restritos apenas ao seio das tribos indígenas (ou nas colônias de pescadores e comunidades agrícolas afastadas), atualmente podemos encontrá-los também vivendo nas cidades como “xamãs urbanos”. Muitos possuem nível universitário ou profissões das mais diversas. Estes “novos xamãs” estão surgindo com a missão de trazer para o nível consciente da Humanidade atual um conhecimento de paz e harmonia naturais, latente em todas as pessoas, qual seja, saber o contato com a Mãe-Terra e com o Pai-Céu. Surgem como novos conscientizadores, propondo o desenvolvimento do lado direito do cérebro (despertar o lado intuitivo) para superar as fronteiras do espaço-tempo. São curadores da matéria e do espírito (como sempre foram os xamãs), só que agora aliando a sabedoria ancestral com as novas descobertas científicas, propondo reformulações de conceitos e paradigmas.

De uma maneira generalizada, podemos entender que as substâncias do corpo, as emoções desencadeadas, os pensamentos emitidos, enfim, tudo que somos pode ser traduzido por ondas e decodificado em freqüências. Assim, se permitirmos à nossa mente expandir a compreensão lógica com a ajuda dos conceitos diferenciados da física quântica, da tecnologia muito avançada e da medicina holística, podemos descobrir num futuro próximo as leis naturais que comandam a vida nas realidades sutis. Então, estas novas realidades deixarão de pertencer ao “oculto”, ao “sobrenatural”. Neste momento, as escolas esotéricas, a ciência e a psicologia se unirão, redescobrindo a unidade natural da Vida nas multidimensões. Quando isto acontecer, o sistema do mundo xamânico deixará de representar um simples aglomerado de crenças animistas classificadas como supestições. Os “ritos”, os “cânticos sagrados”, as “danças” e os “símbolos” deixarão de ter apenas uma interpretação metafórica; o tempo deixará de ser obrigatoriamente linear, possibilitando o “vôo mágico”, e o espaço vivenciado por nós poderá alcançar qualquer ponto da Terra, da galáxia ou além. 

 

XAMANISMO - Ampliando a Compreensão 

Por Léo Artese

A palavra Xamã tem sua raiz na Sibéria (originou-se com os Tungúsios, uma tribo mongol), vinda da palavra Saman, que significa “inspirado pelos espíritos”. O termo xamã foi adotado pelos antropólogos ao referirem-se a curandeiros, feiticeiros, etc., e referindo-se ao xamanismo como um conjunto de crenças ancestrais que estabelecem contato com uma realidade oculta a fim de obter conhecimento, poder, equilíbrio e saúde para si mesmo e para outras pessoas.

Origem e Propagação do Xamanismo

O xamanismo é encontrado em todas as partes do mundo, Sibéria, América do Norte, América do Sul, Austrália, Oceania, África, China, Índia, Tibete, (é a crença oficial na Coréia do Norte) etc. As semelhanças das práticas são notáveis. Segundo estudiosos, o xamanismo está presente há pelo menos 20.000 anos, sua origem levanta algumas possibilidades.

- Vindos da Sibéria, os xamãs teriam emigrado durante as grandes glaciações, seguindo rebanhos de renas, passando pelo estreito de Bering, e espalhando-se pelos continentes.

- Surgimento espontâneo em diferentes locais, com a possibilidade de comunicação astral, telepática entre eles.

- Seriam os primeiros xamãs seres extra-terrestrestres?

O Papel do Xamã

O xamã pode ser homem ou mulher, é o poeta, o mágico, o curandeiro, o conselheiro, o líder espiritual, o contador de histórias, etc. Sua principal especialidade está ligada aos processos de cura. Quando digo cura, não me refiro apenas ao corpo físico, mas também ao mental, emocional e espiritual.

Para atingir seus objetivos o xamã viaja por mundos invisíveis à realidade ordinária, recupera traços perdidos da alma de seus pacientes, conhece o funcionamento da energia universal, altera níveis de consciência sempre que deseja para obter orientação do mundo espiritual, conhece o uso do poder das pedras e das plantas, evoca seres elementais da natureza, utiliza instrumentos que lhe conferem poder, círculos de energia, etc.

Os xamãs são os verdadeiros guardiões da Mãe Terra. Honram a tudo o que tem vida, trabalham com símbolos naturais a do seu inconsciente e aprendem a interpretá-los para superar obstáculos.

Nunca estão sozinhos, sempre estão acompanhados do seu espírito guardião animal, e seus espíritos auxiliares.

O Xamanismo na Nova Era

O xamanismo é a célula mater de todos os processos atuais da chamada Nova Era, que, na realidade de novo só tem o nome, pois o que temos feito é buscar respostas nas práticas ancestrais. O respeito pela ecologia e pelas condições ambientais, o reconhecimento do sagrado, a necessidade de expandir a consciência, a importância da vida espiritual, a ajuda ao próximo e a prática do amor universal é nossa linha filosófica.

Célula-mater porque dá origem a todas as práticas do movimento aquariano por exemplo; utilização de cristais, ervas medicinais, radiestesia e radiônica, energia das formas, mantras, posturas, técnicas de visualização, bastões, danças, banhos, passes, imposição de mãos, poder da palavra, vestimentas rituais, utilização dos elementos (terra, fogo, ar, água) canalizações espirituais.

Isto não significa, colocar o xamanismo no pedestal das práticas atuais, e sim dar uma referência histórica da prática religiosa mais antiga da humanidade, mesmo porque as práticas oriundas do xamanismo, também tiveram seu seguimento e expansão específicos.

O xamanismo vem resgatar a profunda conexão do homem com a Terra, nos ensina a honrar todas as formas de vida, pois onde há vida, está Deus (monismo panteísta). Compreendemos que todos os seres vivos possuem sua missão no plano universal, desde insetos, plantas, pedras, animais, até nós, seres humanos de duas pernas.

Fica difícil imaginar, que tipo de missão poderia ter um mosquito, ou uma barata, porém nada está na Terra por acaso, quando termina o tempo de uma espécie, a própria natureza se encarrega de encerrá-la, vide o exemplo dos dinossauros.

É indiscutível também as marcas do xamanismo nas grandes religiões: O ritual do Judaísmo na circuncisão, o batismo cristão, a iniciação do Crestos (Cristo) no deserto, a morte e o retorno à vida, as visões de Maomé, a busca da iluminação de Buda, os sete chacras etc.

Por sentirmos Deus nas diferentes formas de energia, consideramos Sagrado cada uma delas. Cada planta, cada pedra pode transmitir-nos ensinamentos de cura, aprendemos a decifrar as mensagens que vem dos ventos, reconhecemos que fazemos parte de uma grande família universal, que a Terra é a nossa mãe, nutrindo-nos, sustentando-nos, recebendo-nos a cada vida e nos acolhendo a cada morte.

Várias tradições xamânicas esperam por um novo tempo que virá com o retorno dos antigos xamãs, que reencarnariam em outros povos, com outra linguagem, com outra cor de pele, transmitindo a Linguagem do Amor Universal, promovendo o reencontro do homem com o Sagrado, para que possamos todos juntos caminhar na Beleza e na harmonia com cada ser vivo, caminhar em equilíbrio em nossa Mãe Terra.

O verdadeiro poder está em cada um de nós, ele provém do desenvolvimento de nossos dons, pode ser chamado de Eu Superior, Cristo Interior, Kundalini, Poder Mental, etc. O mais importante é reconhecer a centelha divina que cada um de nós possui por herança natural e saber como acessa-la. Entender que qualquer que seja o caminho espiritual escolhido, é preciso confiar, ter fé, entregar-se para poder integrar-se. Não temer a desilusão, pois a desilusão vem com a verdade, e, se você desconfia, você não se desilude, mas também não aprende e não conhece a verdade. É preciso acreditar que existe um Poder Superior que governa a lei de causa e efeito, e que aquele que busca a verdade com o coração aberto e a mente limpa, pode até cair, mas jamais ficará no chão.

O reconhecimento do Caminho da Verdade vem da expansão de nossa consciência obtida através da introspecção, de nossas experiências pessoais, do nosso contato com o divino, com o “religare”, pois muitos falam muito e ouvem pouco, muitos ensinam muito e praticam pouco, muitos recebem muito e quase nada dão.

Na Idade de Ouro da Humanidade o homem comunicava-se com seres celestiais, com espíritos da natureza, com sua divindade. Com o passar das eras, em nome do progresso, do avanço da ciência, a humanidade foi distanciando-se de sua essência espiritual. Para nós o verdadeiro Religare é a união de todo esse avanço conquistado pelo homem, por inspiração divina, sem nos esquecermos de que somos sagrados.

Respeitando e honrando pontos de vista, porém nunca desviando-se do caminho, deixamos o julgamento a quem deve julgar. Com passos lentos observamos e captamos mensagens verdadeiras que só vêm quando temos a nossa mente calma e silenciosa, e o coração cheio de amor. Devagar no caminho, mas com pressa de chegar.

No xamanismo busco minha verdade na Criação Divina, o mapa do caminho está escrito em cada vegetal, nas mudanças de estação, nas portas de cada direção cardeal, no movimento dos ventos, nos hábitos e talentos de cada animal, nas gravações de cada pedra, com a iluminação e calor do Sol, nas fases da Lua, nas trilhas das Estrelas. Procuro harmonizar-me com a Criação, para poder alcançar o Criador.

Praticando o xamanismo, encontro a senha para tornar possível o meu caminhar no Sagrado, transformando o meu ser, enxergando com os olhos de uma criança, voando como a Águia acima das nuvens negras da ignorância, protegendo com o Leão, o meu espaço, abrindo o meu coração para o amor incondicional.

Nas minhas orações, não espero que nada caia do céu, espero colher o que plantei. Aprendi que não somos vítimas de conseqüências, que podemos construir nosso futuro a partir de pensamentos, palavras e ações. Nenhuma árvore cresce se a semente não for jogada à Terra; se você planta limão, não espere colher maçãs; se a terra não estiver boa, prepare-a; se a terra estiver seca, coloque água. Lembre de que não são todas as plantas que crescem em qualquer lugar, você não poderia plantar uma macieira no deserto, a não ser que ache um Oásis. Não podemos nos esquecer, também, de que uma planta pode sofrer o ataque de alguma praga, portanto devemos estar sempre atentos. Devemos analisar se realmente queremos uma macieira ou outro tipo de árvore. E, ainda, termos a consciência de que uma árvore leva mais tempo para crescer e maturar do que um arbusto.

Nós, que praticamos o Xamanismo, temos a responsabilidade de zelar pela Mãe Terra e por todas as suas Crianças, temos a missão da cura planetária, tanto no tocante a qualidade ambiental, como energética e espiritual. Jamais poderemos ser absolutamente saudáveis se vivermos num Planeta doente, nunca teremos paz enquanto irmãos estiverem em guerra, não evoluiremos se não fizermos a parte que nos cabe. Extraído do Livro "O Vôo da Águia", de Léo Artése, páginas 23-30.

 

TERRA – SOL – LUA – ESTRELAS

O Sol, a Lua e as Estrelas, segundo Gênesis, são os iluminadores do firmamento, criados para iluminarem a Terra. representam a Luz Criadora, a Luz Refletida e a Luz Revelada. O Sol, participa da criação da Terra, é a Evolução Criadora. A Lua ilumina a escuridão da vontade humana, a matéria. As Estrelas orientam valores e verdades, espaço e tempo.

Mãe – Terra

Sempre temos ouvido notícias sobre a devastação do meio ambiente. O Homem definitivamente perdeu o sentido do Sagrado, esqueceu-se de que a Terra é nossa Mãe. O pior é que desconhece os efeitos das ações irresponsáveis que pratica com a natureza. Não tem consciência do crime que comete por interesses econômicos.

E, para isso estamos nós, novamente, para defender nosso Planeta, guerreando silenciosamente, através de preces e vibrações, procurando plantar uma semente de amor nos corações daqueles que não reconhecem sua Mãe, daqueles que lutam por um mundo ilusório, daqueles que não percebem a beleza da Criação.

A melhor maneira de agradar ao Criador, é respeitando, honrando, e preservando a sua Criação.

A Terra é um ser vivo. A Mãe que alimenta todas as criaturas. A Terra supre com suas substâncias nosso corpo físico. Recebe nossos corpos a cada vida e os acolhe a cada morte.

Como toda a mãe, ela provê todas as necessidades de suas crianças, generosamente. Todas as criaturas que andam, nadam, rastejam, correm, voam, insetos, pedras, plantas; também são suas crianças.

Desde que todas as coisas vivas, dividem a vida na Terra com os humanos, nascendo na mesma Mãe Terra, concebidos da mente do Criador, devemos honrá-las, conscientes de sua missão no Plano Universal e nos harmonizarmos com todas elas para andarmos em equilíbrio na Nossa Mãe.

No Espaço Sagrado, abrindo o meu coração para o amor incondicional.

Nós, do xamanismo, verdadeiramente amamos a Terra e todas as suas crianças. Extraído do livro "O Vôo da Águia", de Léo Artése, páginas 123-124.

DISTRIBUIÇÃO DAS RELIGIÕES EM RELAÇÃO ÀS TRADIÇÕES XAMÂNICAS

JUDAISMO: (Yehudim)

Capital: Jerusalém (Yerushalaim) – Israel

Língua Oficial: Hebraico

Livro Sagrado: Tanach (Bíblia), em três partes: Torah, Neviim e Ketuvim (A Lei, os Profetas e os Salmos)

Seitas: Peroshim, Sadoquim, Tselotim, Essênios, Gaonim, Caraítas, Hassidim, Mitnaguedim, etc.

 

ISLAMISMO: (Islã)

Capital: Meca – Arábia Saudita

Língua Oficial: Árabe

Livro Sagrado: Alcorão

Seitas: Omíadas, Abássidas, Khâridjitas, Xiitas, Sûfitas, Ismaelitas, Sunitas, Wahabitas, Charia, Hadith, etc.

 

HINDUÍSMO:

Capital: Brindaban – Índia

Língua Oficial: Sânscrito

Livro Sagrado: Mahâbhârata, que inclui o Bhagavad-Gitâ e principal comentário é o Upanishad

Seitas: O Vedântha, que é de fundamento Xamânico, deu origem à doutrina de Brâhma, posteriormente veio o Jainismo, de onde surgiram inúmeros ramos Yôgues.

 

BUDISMO:

Capital: Buddh-Gaya e Sarnath, às margens do Rio Ganges - Nepal

Língua Oficial: Chinês Pâli

Livro Sagrado: Tipitaka, em três partes: Vinaiapitaka, Sutapitaka e Abidamapitaka

Seitas: Dharmakâia, Hinavana, Theravada, Vajrayâna, Sangha, Mahayana, Lamaísmo Tibetano, Zen, Terra Pura, Shingon, Nitiren Daishonim, etc.

 

CRISTIANISMO:

Capital: Roma

Língua Oficial: Latim; ( Litúrgica e Jurídica) Grego (Intelectual e Universitária); com exceção da Igreja de Alexandria cuja língua oficial é o Copta

Livro Sagrado: NOVO TESTAMENTO (básico) e a Bíblia Hebraica com tradução tendenciosa. A Igreja Copta utiliza também os evangelhos Coptas e o Pistis Sofhia, tidos como apócrifos pela Igreja Ocidental.

Seitas:

Inicialmente três tradições: Latina (Romana), Greco-Bizantina e Cópta-Antioquina; o Rito Bizantino se mantém mais ou menos estável nas Igrejas Ortodóxas do Oriente (Ortodóxa Russa, Ucraniana, Antioquina, Maronita, etc...); A Igreja Ocidental, Latina, deu origem ao protestantismo: Anglicana, Metodista, Presbiteriana, Batista, Luterana, Menonita, etc. as quais deram cria às milhares de seitas pentecostais e neo-pentecostais que modernamente se proliferam com muita fertilidade.

O XAMANISMO

 

A Tradição Primordial dos Povos Nativos

Trata-se da Tradição Mística, Teúrgica, e Espiritualista, Primordial, Tribal, inerente à todos os povos nativos de todas as nações do planeta. Não sendo Religião Organizada por homens, trata-se da Espiritualidade nata dos povos que ainda vivem a COMUNHÃO COM A NATUREZA e vê o Divino em TUDO QUE TEM VIDA. Vê o Universo dentro de uma abordagem Holística: TUDO SE ENCONTRA NO TODO E O TODO ESTÁ EM TUDO. A totalidade de tudo na Mãe Terra e do todo no Pai Céu.

O todo da Tradição Primordial das Sete Cores do Arco-Íris:

Os Vedas Indianos, o Shintô Japonês, o TAO Chinês, o Tântra Tibetano, o Sêfer Yetsirá Semita, a Dança Sagrada dos povos do Deserto, Ñamandú Tenondé dos Guarani, a Flauta Sagrada dos Celtas, os Tambores Africanos e de todos os povos Pré-Colombianos; A Sampõnia dos Incas, a Máscara Sagrada das Tribos Mongóis e dos Tungúsios da Sibéria, o Peiotl dos Astecas, a Ayahuaska dos Baniwas e Achanincas da Amazônia e, enfim, todos os métodos enteógenos de induzir o estado de consciência Xamânico. Isto é a comunhão plena com a Mãe Natureza, como os Kiowa da América do Norte. O Xamanismo é, além disso, a crença oficial da Coréia do Norte e de diversos países da África. É o cântico Sagrado do Taití e demais povos Polinésios e Aborígenes Australianos. É o Maracá e a Flauta dos Kamayurá do Xingú e dos Krahô do Tocantins, bem como dos Pankararú do Pernambuco e dos Pataxó da Bahia, dos Krenák e dos Maxacali de Minas; dos Terenos e Kaiowá de Mato Grosso do Sul; dos Xavantes e Boróros de Mato Grosso.

No dia que todos os Hebreus (Israelitas - Judá e Efraim), reunidos da Diáspora em sua Terra Ancestral (Eretz Israel), cumprirem 100% a Torah, as Mitzvot, e o Zohar cumprir sua função profética, e o 3º HaMikdash (Templo) for reconstruído e a Humanidade lograr alcançar o Supremo Despertar da Consciência de Mashiah estiver em seu devido lugar juntamente com os Tzadoquim (Sacerdotes da Linhagem de Tzadoq) realizando o que preceitua a Lei, então os povos Nativos dos quatro cantos da Terra estarão também, restaurados todos em seus devidos lugares.

Será então o Grande Shabat (Sábado) e o início da Nova Era de Aquário.

Ver Jeremias 33:17-18; Ezequiel 43:7, 18-19, 44:15-16. Veja também como se comportarão as nações: Isaías 2:1-4; Miquéias 4:1-4.

Nesta Nova Era da Terra Restaurada não haverá lugar para as Nações do assim chamado “primeiro mundo”, da assim chamada “civilização” ocidental, pois estas terão sido destruídas na Guerra de Gog e Magogue predita pelos antigos Profetas de Israel. Ver Ezequiel 38 e 39; Joel 3:1-17; Zacarias 12:1-14 (atenção para o versículo 10 que NÃO DIZ o que os cristãos acreditam ser: o seu ídolo vindo nas nuvens e os judeus se pranteando sobre ele; no original Hebraico não diz nada disso); ver ainda Zacaias 14: 1-21. Veja minha Página Sobre Zacarias 12:10 – Quem foi “Traspassado”?.

Deseja o leitor saber o porque da minha convicção de que a Restauraçào de Israel NÃO É ESPIRITUAL E SIMBÓLICA, e sim LITERAL? Porque o Eterno prometeu ao Patriarca Abraham (Abraão) aquela Terra, aquele solo: veja Gênesis 17:8. E na profecia do Retorno de Israel dentre as Nações por onde foram dispersos, não diz absolutamente nada sobre arrebatamento ao céu, ao contrário, diz claramente a Profecia que se houver algum exilado no céu o Eterno o trará de lá para SUA TERRA: Neemias 1:9. A Profecia, definitivamente não diz nada sobre uma Jerusalém celestial, e sim, sobre uma Jerusalém no SEU LUGAR DE SEMPRE: “...e Jerusalém será habitada outra vez no seu lugar, em Jerusalém.“ Zacarias 12:6. A Profecia também não diz nada sobre os Judeus tendo que aprender dos cristãos e se converter, porém, ao contrário, homens de todas as nações vão agarrar os Judeus pelas vestes e lhes suplicar o ensinamento: “Iremos convosco, porque temos ouvido que Deus está convosco.” Zacarias 8:23. Quanto à crença cristã de que os Judeus irão se converter ao seu ídolo, se baseia na tradução tendenciosa e fraudulenta de Zacarias 12:10, a qual como já mencionamos antes, no Hebraico NÃO DIZ NADA DISSO. Fala sim, de uma guerra fratricida entre irmãos da qual irão se arrepender.

Apelo ao caro leitor que conseguiu chegar até aqui em sua leitura deste singelo trabalho, sem dizer impropérios contra mim, que leia com muita atenção o Livro do Profeta Ezequiel, principalmente do capítulo 34 em diante, e compare com a teologia cristã do Novo Testamento. Compare principalmente com o livro de Hebreus, que de Hebreu mesmo não tem nada. Quando esta grande Restauração acontecer, não haverá mais, conforme a nossa ilustração anterior, cinco círculos dentro do grande círculo que representa a Terra, que são as religiões.

Haverá apenas um pequeno círculo dentro do círculo maior, representando o verdadeiro Judaísmo em harmonia com a Lei (Torah) como nação Sacerdotal (Êxodo 19:6) exercendo o Sagrado Sacerdócio perante as nações de povos nativos restaurados cada um ao seu devido lugar, todos em harmonia com as Leis Cósmicas, as SANTAS LEIS DA NATUREZA; todos em PAZ com a MÃE TERRA E COM PAI CÉU. Em perfeita harmonia com todos os seres vivos, animais e plantas e perfeito ZELO COM O JARDIM DE DEUS: A FLORESTA. E onde ela tiver sido destruída pelos loucos desatinos da “civilização” ocidental (que nestas alturas não mais existirá) será RESTAURADA.

O HOMEM da NOVA ERA não precisa mais da telecomunicação pois se comunica pelo PENSAMENTO; não precisa de aviões, naves espaciais ou qualquer tolo meio de transporte pois tem o poder Divino de se teletransportar na velocidade do pensamento para qualquer parte do Universo como lhe aprouver.

O homem que hoje está em guerra contra tudo que tem vida: derrubando, queimando, poluindo, envenenando, detonando, estará agora em PAZ com a Natureza. Os inimigos da PAZ terão sido destruídos. Os toxicômanos não mais existirão. E destruídos de tal forma que NINGUÉM terá dúvidas da JUSTIÇA EXECUTADA. A PAZ terá sido restaurada de forma tão completa que o Homem da Nova Era não mais irá precisar derrubar madeira para queimar no fogão para cozinhar na panela o seu alimento pois ele terá na fruta a dádiva perfeita da Natureza para o seu alimento. É a volta ao Edem Restaurado.

É A RESTAURAÇÃO DO TEMPO DA LEI.

Nunca se esqueçam de que Religião é o pior vício da humanidade, pois é o homem interferindo entre o homem e o homem; pior ainda: o homem interferindo entre o homem e Deus. Religião é o homem em guerra contra a Natureza e contra a VIDA. Religião é o homem se sentindo superior à Natureza, superior aos animais, seus irmãos menores, e os considerando como nada. Se sentindo superior às plantas e as utilizando apenas como objeto de uso. Quando o homem se sente assim tão superior, é muito fácil se considerar superior a outros homens por estes serem de outra cor, ou de outra raça, ou de outro nível econômico (mais pobre), e mesmo, se sentir superior à outro sexo. Nesta situação de pseudo superioridade ele mata a própria Mãe (Natureza), e sabemos muito bem que quem mata a Mãe está pronto para matar os irmãos: o seu semelhante, os animais, as florestas, e, na melhor das hipóteses, mata germes, vírus e bactérias, com injeção de antibióticos (anti-vida); o fato é que o homem que se diz “civilizado” está em guerra contra a Vida. Este é o triste resultado da religião que lhe ensina ser “rei” da Natureza. Mas, não diz a Bíblia que o homem deve “reinar” sobre a Terra, sujeitando os peixes do mar, as aves do céu, e sobre os animais da terra? Gêneses 1:26-28. O uso do fruto proibido no jardim do Edem lhe distorceu a compreensão das coisas e ele achou que “reinar” fosse “dominar” com tirania, arrogância e desrespeito, até chegar ao ponto que está hoje. Eu tenho o prazer (não orgulho) de dizer que em minha casa os beija-flores chegam à minhas mãos. Sentem que não estou em guerra contra a Natureza. Isto é verdadeiramente reinar sobre eles. O REINO é o HOMEM se sentir CRIADOR e DIVINO e não um ditador. 

Animais de Poder - Fôrças da Natureza

 

"No começo de tudo a sabedoria e o conhecimento pertenciam aos animais, pois o Criador não falava diretamente com os homens. O Grande Espírito tinha enviado certos animais para dizer aos homens que Ele se manifestava na luz do Sol e da Lua, na água e na terra, nas plantas e nos animais. E através disso tudo, o homem devia aprender, pois tudo falava sobre o Criador". - Eagle Chief (séc. 19) Chefe dos Pawnee.

"O animal sempre teve um papel crucial no Xamanismo. No plano inicial arcaico o animal e o ser humano não se diferenciavam, eram como uma única entidade. Isto pode ser constatado através das pinturas rupestres como as da caverna Très Fères, na França (25.000 a. E. C.). Nesse local pode-se ver um Xamã vestido com a pele e a cabeça de um cervo, a cauda do animal passando-lhe entre as pernas. As inúmeras representações da grande Deusa, Senhora dos animais e a lenda do primeiro Xamã, vem selar essa comunhão entre o homem e o animal.

Os buriates e iacutes da Sibéria nos contam a lenda do surgimento do primeiro Xamã, que teria sido gerado pela águia, símbolo da consciência e por uma mulher, identificada como a liberdade. Portanto, desde o início o Xamã é um misto de divino, de humano e de animal.

O poder dos xamãs relaciona-se diretamente com seus totens, ou em outras palavras, seus aliados animais. Para um Xamã um homem não é melhor e nem mais consciente do que um animal.  O Xamã oferece ao espírito do animal respeito e devoção, enquanto o animal oferece orientação e assistência. Os animais, assim como as pedras, para os xamãs têm espíritos poderosos, cada qual com seus própios talentos, e tem a qualificação de ajudar as pessoas nas tarefas específicas.  Um dos principais dons oferecidos pelo poder dos animais ao Xamã em suas tarefas é a proteção e a tutela. Eles costumam descobrir seus animais de poder permitindo que aflorem durante uma dança espontânea ou tendo uma visão animal.

Para os xamãs, as crises do mundo de hoje não são surpresa. São o resultado do desequilíbrio causado pela falta de respeito, e este desequilíbrio em última análise acarreta a perda de poder para um Xamã. Os xamãs ensinam que à medida que uma pessoa for aprendendo a se comunicar com as pedras e os animais, deve ter em mente que o segredo do sucesso é o respeito. Para ter sucesso é preciso cooperar com o meio ambiente". AMORC CULTURAL - 3º trimestre de 2001.

Os animais estão mais próximos do que nós da Fonte Divina por serem míticos, oníricos. Ao compartilharmos de sua consciência animal transcendemos o tempo e o espaço, as leis de causa e efeito. A relação entre homem e animal é puramente espiritual, pois nosso instinto animal é mais forte e menos racional por serem manifestações dos poderes arquétipos do ser humano. Fortificam o vigor físico e mental, aumentando a disposição e o conhecimento, auxiliando ainda no diagnóstico de doenças e na realização de desafios.

Existem rituais, auxiliados pelo tambor que auxiliam na conexão com o animal, onde também são realizadas as Danças do Animal, que é uma forma de invocação. Cada animal possui uma essência, e assim cada um possui sua própria medicina e sabedoria.

Abaixo eu coloco uma relação sucinta de alguns animais de Poder (incluindo os místicos) com seus significados:

Águia - Iluminação, a visão interior, invocada para poderes xamânicos, coragem, elevação do espírito a grandes alturas;

Aranha - Criatividade, a teia da vida, manifestação da magia de tecer nossos sonhos;

Abelha - Comunicação, trabalho árduo com harmonia, néctar da vida, organização. 

Alce - Resistência, auto-confiança, competição, abundância, responsabilidade.

Antílope - Cautela, silêncio, consciência mística através da meditação, calma, ação.

Baleia - Registros da Mãe Terra, sons que equilibram o corpo emocional, origens;

Beija-flor - Mensageiro da cura, amor romântico, claridade, graça, sorte, suavidade;

Borboleta - Auto-transformação, clareza mental, novas etapas, liberdade;

Búfalo - Sabedoria ancestral, esperança, espiritualidade, preces, paz, tolerância;

Cabra/cabrito - Determinação para ir ao topo, nutrição, brincadeiras.

Camelo - Conservação, resistência, tolerância.

Canguru - Proteção maternal, coragem para seguir em frente nas fraquezas.

Castor - Novos canais de pensamentos, construção, segurança, conforto, paciência.

Cisne - Graça, fidelidade, ritmo do Universos, ver o futuro, poderes intuitivos, fé.

Coiote - Malicia, artifício, criança interior, adaptabilidade, confiança, humor.

Coelho - Fertilidade, medo, abundância, crescimento, agilidade, prosperidade.

Condor - Idem a águia, é um dos filhos do Sol no Peru, representa o Mundo Superior.

Corvo - Guardião da magia, mistério, predições, mensageiro, dualidade, assistência.

Cavalo - Poder interior, liberdade de espírito, viagem xamânica, força ,clarividência;

Cachorro - Lealdade, habilidade para amar incondicionalmente, estar a serviço;

Cobra - Transmutação, cura, regeneração, sabedoria, psiquismo, sensualidade;

Coiote - Malícia, artifício, criança interior, adaptabilidade, confiança, humor.;

Coruja - Habilidades ocultas, ver na escuridão, a vigília, a sombra, sabedoria antiga; 

Doninha - Poderes ocultos, vivencia, poder de esconder, observações, segredos.

Elefante - Longevidade, inteligência, memória ancestral, ancestrais enterrados.

Esquilo - Divertimento, planos futuros, reunião, observar o óbvio.

Esturjão - Determinação, sexualidade, consistência, profundidade, ensinamento.

Falcão - Precisão, mensageiro, olhar a volta, abertura a distância, oportunidades.

Formiga - Comunidade perfeita, paciência, trabalho duro, força, resistência, agressividade.

Gaivota - Voar através da vida com calma e esforço para alcançar objetivos.

Gambá - Campo de proteção, reputação, repelir quem não o respeita, respeito.

Gato - mistérios, poderes mágicos, sensualidade, independência, visões místicas, limpeza. 

Galo - Sexualidade, fertilidade, oferendas, cerimônias, altivez.

Girafa - Calma, inspiração para se atingir grandes alturas, suavidade, doçura.

Golfinho - Pureza, iluminação do ser, sabedoria, paz, amor, harmonia, comunicação.

Gorila - Sabedoria, inteligência, adaptabilidade, guardião da terra, habilidade.

Guaxinim - Bom humor, limpeza, sobrevivência, tenacidade, inteligência, folia.

Hipopótamo - Desenvolvimento psíquico, intuição, ligação água-terra, aterramento.

Jacaré - Instinto de sobrevivência, o inconsciente profundo, o caos que precede a criação.

Jaguar - A busca em águas da consciência, mensageiro, interação mente e alma.

Javali - Comunicação entre pares, expressividade, inteligência.

Lagarto - Otimismo, adaptabilidade, regeneração, sonhos, renovação, transformação.

Leão - Poder, força, majestade, prosperidade, nobreza, coragem, saúde, liderança, segurança, auto-confiança.

Leopardo - Conhecimento do subconsciente, compreender aspectos sombrios, rapidez.

Lince - Segredos, conhecimento oculto, tradição, ouvir para o crescimento.

Libélula - Ilusão, ventos da mudança, comunicação com o mundo elemental.

Lobo - Amor, relacionamentos saldáveis, fidelidade, generosidade, ensinamento. 

Macaco - Inteligência, bom humor, alegria, agilidade, perícia, irreverência, amizade.

Minhoca - Regeneração, resistência, auto-cura, transformação.

Morcego - Renascimento, iniciação, reencarnação, habilidades mágicas.

Onça - Espreita, proteção de espaço, silencio, observação. Precisão.

Pantera - Mistério, sensualidade, sexualidade, beleza, sedução, força, flexibilidade.

Pato - Desenvolvimento de energia maternal, fidelidade, nutrição energética.

Peru - Dar e receber, transcendência, dádivas, celebração.

Porco-Espinho - Fé, confiança, inocência, inspiração para realizações, dentro da essência.

Puma - Força, mistério, silêncio, sobrevivência, velocidade, graça, liderança, coragem.

Pica-Pau - Regeneração, limpeza, comunicação, proteção, unido aos Espíritos do trovão.

Pingüim - Viver em comunidade, fidelidade, lealdade nos romances.

Pombo - No cristianismo simboliza o Espírito Santo, paz, comunicação, mensagem.

Raposa - Habilidade, esperteza, camuflagem, observação, integração, astúcia.

Rato - versatilidade, alerta, introspecção, percepção, satisfação, aceitação.

Salmão - Força, perseverança, nadar contra a maré, determinação, coragem.

Sapo - Evolução, limpeza, transformação, mistérios, humor, ligado a chuva.

Tartaruga - Estabilidade, organização, longevidade, paciência, resistência, proteção, experiência, sabedoria, Mãe-Terra.

Tatu - Limites, doas dá a armadura, limites emocionais, protege a saúde.

Texugo - Agressividade, coragem, formar, alianças, persistência, agir em crise.

Tigre - Aproximação lenta, preparação cuidadosa, aproveitar oportunidades. 

Veja a Imponência do Tigre

 

Touro - fertilidade, sexualidade, poder, liderança, proteção, potencia.

Urso - Introspecção, intuição, cura, consciência, ensinamentos, curiosidade.

Vaga-Lume - Iluminação, entendimento, força de vida, luz e escuridão, maravilhas.

Veado - Delicadeza, sensitividade, graça, alerta, adaptabilidade, coração/espírito, gentileza.

 

Animais Místicos

 

Cavalo Alado - Elevação, transmutação, beleza, viagem astral,aventuras, mistério, fascínio.

Centauro - Instinto animal, ligação homem-animal, anarquia, sexualidade, fertilidade, cura.

Dragão - Potência e força viril, proteção Kundalini, calor, mensageiro da felicidade, senhor da chuva, fecundação, força vital.

Elefante Branco - Força, bondade, escolha de caminhos, ligações extraterrestres, mistério.

Fênix - Renascimento, fascínio, animal do Sol, imortalidade da alma, elevação, purificação.

Sátiro - Libertinagem, divertimento, impulso sexual, instintos, fantasias sexuais.

Unicórnio - Rapidez, mansidão, pureza, salvação, espiritualidade, inofensivo. 

 

Unicórnio

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!