Sobre Zacarias 12:10 - Quem foi "Transpassado"? 

 

Maguén David - Estrela Macro-Cósmica que representa a Lei. 

A Ordem Teocrática na Terra. 

A Ordem de Melki-Tsedek. 

De acordo com a tradução fraudulenta e mal intencionada de Zacarias 12:10, 

os Judeus contemplariam o ídolo (Jesus - Que seu nome seja apagado da memória 

Cósmica e dos Registros Akashicos) vindo nos céus, mais ou menos assim como 

nesta gravura, e se lamentariam, se convertendo ao cristianismo.

O texto:

י וְשָׁפַכְתִּי עַל-בֵּית דָּוִיד וְעַל יוֹשֵׁב יְרוּשָׁלִַם, רוּחַ חֵן וְתַחֲנוּנִים, וְהִבִּיטוּ אֵלַי, אֵת אֲשֶׁר-דָּקָרוּ; וְסָפְדוּ עָלָיו, כְּמִסְפֵּד עַל-הַיָּחִיד, וְהָמֵר עָלָיו, כְּהָמֵר עַל-הַבְּכוֹר.

Diz assim o texto, segundo a correta e fidedígna tradução aprovada pelos Rabinos de Israel: "E derramarei sobre a Casa de Daví e sobre os moradores de Jerusalém o espírito da graça e das súplicas, e olharão para Mim por causa daqueles que foram traspassados e gemerão como se fosse pela morte de seu filho único, e sofrerão como quem sofre por seu primogênito”.

Este verso, tem sido o último trunfo, depois de Isaías 53, dos ministros cristãos, como munição de sua ferramenta de engano. Veja minha Página "Sobre Isaías 53 - Quem é o Servo do Eterno?" .

Como você mesmo reconhece, caro leitor, os Sábios Judeus dizem ter a Torah  70 faces. O tradutor, por mais honesto e imparcial que seja, infelizmente, tem que, obrigatoriamente, optar por apenas um destes Caminhos. Por isto eu costumo dizer que quem quiser, de verdade, aprender sobre as Escrituras, tem que aprender Hebraico. Quanto às traduções cristãs, especialmente a Almeida, utilizada pó V. S. são fortemente tendenciosas. Esta é a tática de Roma durante os últimos quase 2.000 anos. Afrontam de forma profana e violenta, a integridade dos textos Sagrados que são um Patrimônio mais do que Cultural do povo de Israel. Leia no meu Site o Blog:  “Esquadrinhando as Traduções e Compilações Bíblicas

Não sou judeu e não tenho a intenção de fazer conversão. Sou apenas um índio ignorante, praticante do Xamanismo e da Tradição Primordial. Sou, porém, estudioso do Judaísmo; mas, quanto ao significado do texto eu vejo claramente aqui uma profecia do Santo Profeta de Israel, vaticinando a completa restauração de Israel. Basta que você leia todo o contexto e verá isto. O Eterno moverá todas as nações contra Jerusalém. Será uma guerra a nível mundial. Esta mesma guerra é chamada em Ezequiel 38 de “guerra de Gog e Magog”. Dizem os Sábios, que é durante esta guerra que se manifestará a chegada do Mashiach, restaurando as DUAS CASAS DE ISRAEL: JUDÁ E EFRAIM. A separação de Israel em dois Reinos (do sul e do norte), é uma quizumba que já perdura há quase três mil anos; desde o tempo da morte do Rei Salomão. Com a chegada do Mashiach, as dez tribos perdidas (Reino de Efraim) serão restauradas; e isto com muito pranto, muito choro e amargo arrependimento, como se chora por um primogênito. Por favor, leia todo o capítulo 12, e também os capítulos 13 e 14. Convém ler atenciosamente também Ezequiel capítulos 38 e 39, bem como Joel capítulo 3. Deixe o mau costume dos cristãos, de ler versículos isolados do seu contexto.

Portanto, viste que, este texto nada tem a ver, absolutamente, com a interpretação cristã, de o povo Judeu olhando para o céu e contemplando as marcas nas mãos de seu ídolo e se lamentando e se convertendo em massa ao cristianismo. Isto é ridículo! Leia Zc. 8:23, onde está dito o contrário: “Assim diz o Eterno dos Exércitos: Naqueles dias, 10 homens de diferentes línguas e de todas as nações segurarão na orla do manto de um Hebreu, dizendo: ‘Iremos contigo, porque sabemos que Deus está contigo’.” Definitivamente, não é o cristão que tem nada para ensinar ao Israelita, e sim o Israelita tem tudo (a verdadeira Sabedoria) a ensinar para as nações, após a restauração de Israel e de Jerusalém. Nada de ir para o céu. A profecia diz: “... e Jerusalém será novamente estabelecida e habitada no lugar onde sempre esteve: em Jerusalém” (Zc. 12:6).

Esta esplicação de Zacarias 12:10 se encontra esplanada na minha Página  "Yehoshua/Jesus não é Mashiach (Messias)" .

 

Definições Mais detalhadas

 

Um Sábio Talmudista amigo meu, o Rabino Yossef de Oliveira, me deu, a pedido meu, a seguinte explicação:

"Antes de continuar a o assunto, dando intróito à veraz explanação e compreensão do que foi dito pelo profeta Zekhariah, cabe lembrar aos senhores Ministros cristãos que não me é estranho a forma como entendem o conteúdo do verso, assim como o que entendem dos primeiros quatro versículos do cap. 14 do mesmo livro, e do verso último do capítulo 8º, bem como do assunto da visão do profeta concernente aos ramos de Oliveira, alguns capítulos antes. Tampouco me é estranha a dissertação cristã acerca de Dn 9:27, Is 9:6, e muitos outros. Os devaneios aumentaram com os séculos, entre os ocidentais, especialmente devido à época de Constantino, que incluiu na fé cristã elementos que servissem para atrair aos diversos povos do Império à religião que adotara, para assim fortalecer o Império decadente. Assim, passaram a crer em "filho de deus", como criam os mithraístas, e em "homem-deus sacrificado para o bem da humanidade", como criam os tamuzistas, e "anjos e demônios, bem e mal, duas forças governantes", criando "deus x satanás", que é abominável no judaísmo, graças aos elementos do zoroastrismo. Assim, trechos da santa Torah, e trechos dos Profetas, especialmente quando traduzidos, tomaram nova "luz" diante dos exegetas cristãos, cujo pensamento nada tem a ver com o povo que recebera a Torah, nem seus ensinamentos lhes foram enraizados.

Toda pessoa que acompanha os acontecimentos em Israel, nas últimas décadas, e sabe o que se passa aqui entre facções judaicas direitistas e esquerdistas, não tardará a entender o veraz sentido do escrito pelo profeta.

Pode ser que alguém venha a citar "midrashim" e "agadôt", mais um estratagema dos missionários para judeus nas últimas décadas, que tentam afirmar ser "mashiah ben Iossef" o mesmo Jesus de Nazaré, posto que seu suposto "pai terreno" chamava-se Iossef. Tomam estas coisas como literais, enquanto que trechos literais na Bíblia, transformam em alusórios!

Dividiram-se os exegetas hebreus acerca do texto de Zc 12:10. Rabi Abraham ibn-Ezra explica que será morto durante a guerra por Jerusalém "Mashiah ben-Iossef", por Armilus, o íníquo. Isto é derash, e ele mesmo diz isto em sua explanação, sendo que suas palavras são trazidas do escrito no Trat. Talmúdico Sucá. É preciso ficar bem esclarecido que, "derash" ou "midrash", ou "agadá" (forma hebraica de "agadta", citado acima), são explanações alusórias. Nada literal. Claro que oculta segredos, cujas chaves possui o que se aprofundou nos estudos rabínicos, para entender coisas futuras, escatológicas! Similar a ibn-Ezra, é a explicação de Rach"i. Para os que não sabem, ambos viveram no séc. XII. O primeiro na Espanha, e o segundo na Provença (meridiano francês), e escreveram comentários sobre toda a Bíblia, e sobre quase todo o Talmud. Outros comentaristas mais tardios escrevem coisas similares.

Os sacerdotes dos primórdios do cristianismo conheciam bem o Talmud. Exatamente por isto, as diversas censuras sobre os textos no Talmud que falam dos verdadeiros atos de Jesus, e da verdadeira época em que viveu (Jesus não conheceu sequer a Pilatus: este foi muito posterior a ele!)"*.

*Comentário meu:  É sabido que o Jesus Histórico nada tem a ver com o Jesus Teológico, o qual é uma figura mitológica engendrada por Roma.

"O fato de os primevos curas conhecerem os midrashim e o Talmud, e não saberem as regras do estudo rabínico em sua plenitude, deu margem aos posteriores tradutores da Bíblia para que deturpassem textos, segundo explanações que receberam. "Os próprios judeus dizem referir-se este texto ao messias!" Então, traduziram: "Olharão para mim, a quem trespassaram!..., e chorarão por ele...!", e nem percebem que o texto muda repentinamente de "para mim", e "chorarão por ele". Está, ou não, falando da mesma pessoa?!

Mas, o cristão não perscruta: o cristão sente, aceita por sentimento o que lê. Diferentemente, o israelita perde horas e horas, verificando cada possibilidade, comparando coisas com coisas, até alcançar o que realmente consta. Aliás, uma vantagem a mais: o israelita não usa traduções, nem mesmo judaicas, salvo alunos principiantes dentre os principiantes.

Atenção agora, leitor, para um grande Mistério: Mashiach ben Yossef.

Continua pois, a palavra com o Rabino Yossef de Oliveira:

"Mashiach ben-Yossef" é alcunha para a força reunidora do povo de Israel, perto da redenção final. Pouco antes de vir o Mashiah, o povo judeu precisa estar reunido em sua terra. A força espiritual mandada por Deus, que faz com que os judeus se reúnam, levantem um país moderno, chama-se por este nome usando como alusão a Iossef, filho de Ia'aqob, pai das tribos de Efraim e Menashê. Por que? Pelo que ele fez: conseguiu trazer união entre os patriarcas das doze tribos, e fornecer-lhes situação econômica e segurança. Assim, a força que representa todo este lado material é chamada pela cognominação de "messias filho de José": como foi José no Egito, assim seria essa força espiritual de parte de Deus. Ela principiou sua ação com o advento do sionismo, e levantou o Estado de Israel. Porém desprovido de seu lado espiritual, enquanto estiver funcionando como coagido pela força de "messias, filho de José", encontra-se no estado apresentado na profecia de Ezequiel 37:8: "...espírito (fôlego: mesma palavra em hebraico) não havia neles...". Assim, o Estado de Israel é um "Estado laico", até principiar a nova fase, com a morte de "mashiah ben Iossef". Uma guerra interna (veja o começo do capítulo 12! Também Judá estará no cerco contra Jerusalém. Quem, então estará a favor dela? Outros Israelitas!) O verso 12, portanto, trata de uma guerra entre irmãos.

Depois de todas estas coisas esclarecidas, posso traduzir o verso como deveria estar traduzido.

Original Hebraico:

י וְשָׁפַכְתִּי עַל-בֵּית דָּוִיד וְעַל יוֹשֵׁב יְרוּשָׁלִַם, רוּחַ חֵן וְתַחֲנוּנִים, וְהִבִּיטוּ אֵלַי, אֵת אֲשֶׁר-דָּקָרוּ; וְסָפְדוּ עָלָיו, כְּמִסְפֵּד עַל-הַיָּחִיד, וְהָמֵר עָלָיו, כְּהָמֵר עַל-הַבְּכוֹר.

"Derramarei sobre a casa de David e sobre os habitantes de Jerusalém espírito de graça e de súplicas, e olharão para mim, com aqueles (seus irmãos!) a quem trespassaram. Discursarão lamentosamente por ele, como o discurso de lamento sobre o filho único, e se amargarão por ele como no dia do discurso de lamento sobre o filho primogênito!" Quem é "ele" que aparece? Em todo prélio, há uma pessoa sobre os outros, em liderança! Este será morto, e sobre ele recairá o nome de "mashiah ben Iossef", pois com sua morte principiará nova época no Estado de Israel.

O termo "et asher daqáru", em hebraico, neste caso, não é "àquele ao qual trespassaram", senão "com aqueles". "Et" às vezes é "com", e depende da pontução hebraica, que é o caso aqui, para quem entende os sinais massoréticos.

Aos judeus que lerem estas palavras:

Muito embora esteja claro que trata-se de uma guerra civil em Israel, e em nossa época, que é quando as nações todas querem tirar de nós o direito sobre nossa cidade Jerusalém - não há porquê se assustar - pois há uma regra nas profecias: toda profecia na qual Deus nos promete bênçãos, se cumprirá com certeza; toda profecia que seja sobre calamidades, fica pendente: se nós fazemos "teshuvá", ela pode ser anulada, ou pelo menos diminuída, em seu cumprimento.

Ou seja: a guerra já está havendo. Os EUA tentam forçar-nos a dividir Jerusalém com os árabes (que na verdade não é dividir, pois a profecia não se refere à nova Jerusalém ocidental, estabelecida fora do setor das muralhas!). O Vaticano já há muito exige que seja "área internacionalizada", pois que também "pertence aos cristãos", segundo seus papas! Os muçulmanos - apesar de terem Meca e Medina, especialmente Meca sendo a sagrada - no último século fizeram (e fazem!) questão de que Jerusalém é uma cidade santa islâmica, e que o direito a ela é irrevogável, pelo que nos noticiários árabes do mundo inteiro toda referência a Jerusalém - é usado o termo "muhtala" - que significa "ocupada". "Al-Quds al Muhtala" ("Jerusalém ocupada") é o principal motivo das ocorrências aqui, pelo que tudo o que ocorrera recentemente, como o desalojamento de famílias inteiras de suas casas em Guch Qatif faz parte desse prélio entre irmãos.

Em resumo: para entender bem, é preciso voltar ao princípio do capítulo e ler com atenção, e então poder-se-á entender o verso 10 por outro prisma, e não como sendo um "messias pendurado", que nunca foi ungido por ninguém para que pudesse ser chamado "mashiah" ("ungido").

Aos que disserem que foi ungido por Iohanan ha-Matbil ("João, o Batista"), devo esclarecer: o óleo para a unção segundo a Torá, somente ele podia ser usado, e não existe "unção" por água, e quanto mais por espírito, pois a palavra "unção" no hebraico é "meshihá", que é passar creme, ou algo oleoso, sobre a pele. Enquanto isto não for feito - e só é possível que seja por um profeta reconhecido por todos os Israelitas, ou pelo Sanedrin - a pessoa não pode ser tida como ungida.

Embora os descendentes de David (por linha paternal!) não necessitem a unção, isto refere-se somente a:

1º caso: que possa comprovar suas origens, sem dúvida alguma, de sua ascendência paterna (no caso o "messias" ocidental não pode, já que se alega ser descendente de Deus!);

2º caso: que ninguém discuta seu direito ao trono, e isto após o cumprimento do primeiro caso.

Exceptuando-se estes pormenores, não há possibilidade de que alguém seja "mashiach", não importa se é ente "de outro mundo", que nasceu sem precisar de progenitor, ou não".

Atenciosamente!

Rabino Yossef de Oliveira.

Site:  Judaísmo Ibérico.  

Efraim - O Primogênito do Eterno

O Mistério de Mashiach ben Yossef

“Virão chorando e Eu com misericórdia os tornarei a trazer.

Trá-los-ei através de arroios de água, por caminho direito,

em que não tropeçarão, porque me tornei o Pai de Israel, e

Efraim é o meu Primogênito.”

Yirmiahu (Jeremias) 31:9.

 

"Efraim é Meu Primogênito", diz o Eterno. Isto é muito profundo.

Nesta Palavra se esconde um grande mistério. Aí está codificado um grande segredo.

Conforme já disse em "Sobre Nós", após eu descobrir que o Novo Testamento se constitui na maior fraude da História da Humanidade, eu não parei por aí. Minhas pesquisas continuaram. Nos últimos 17 anos tenho feito descobertas estarrecedoras.

Ao esclarecer o verdadeiro significado, desmistificando e desmontando a teologia cristã em torno de Zekhariach (Zacarias) 12:10, se faz mister desvendar o Mistério de Efraim e do Mashiach ben Yossef.

Nas palavras acima, do Rabino Yossef de Oliveira, vimos que ele traz à tona este Mistério.

Vamos pois, adentrar ao tema.

São profetizados dois Mashiachim (dois Messias). O Mashiach ben Yossef e o Mashiach ben David.

Efraim - Pai de Numerosas Nações

Vamos analisar as promessas do Eterno à Avraham e a pronunciação de Yaacov (Israel) ao transmitir a mensagem profética:  "Abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as nações da Terra".

São profecias que assumem, deveras, grande e transcendental importância no contesto geral do desenrolar dos acontecimentos que levam à realização e consolidação do Reino do Mashiach. 

"E D'us disse-lhe: Eu Sou, e eis a minha aliança que faço contigo: serás pai de uma multidão de nações".  Bereshit (Gênesis) 12:3 e 17:4.

Veja que Yaacov (Jacó - Israel) transfere a benção profética de Avraham (Abraão) para seu neto Efraim, filho de Yossef (José), e sua descendência pelos séculos dos séculos.

"E Yaacov disse a Yossef: O D'us Todo-Poderoso apareceu a mim em Luz, na terra de Canaan, e me abençoou. E disse-me: 'Eis que Eu te farei frutificar, te farei multiplicar e te farei por uma multidão de povos; e darei esta terra à tua descendência, depois de ti, para possessão eterna'. E agora, teus 2 filhos, nascidos a ti na terra do Egito, antes que eu viesse a ti no Egito, serão meus; Efraim e Menashe serão para mim como Ruben e Simeão. Os que gerares depois deles, para ti serão; pelo nome de seus irmãos serão chamados na sua herança". Bereshit (Gênesis) 48:3-6.

"E Yossef viu que seu pai colocava a mão direita sobre a cabeça de Efraim, e isso pesou em seus olhos; então levantou a mão de seu pai, para tirá-la de sobre a cabeça de Efraim e colocá-la sobre a cabeça de Menashe. E Yossef disse a seu pai: Não é assim, meu pai, pois este é o primogênito! Põe a sua mão sobre a sua cabeça! Mas seu pai, recusando-se, disse: Eu sei, meu filho, eu sei; ele também será como um povo, e ele também crescerá; porém seu irmão menor crescerá mais do que ele, e sua descendência será uma multidão de nações. E abençoou-os naquele dia, dizendo: Por ti abençoará Israel, dizendo: Que D'us te faça como Efraim e como Menashe! - e pôs Efraim antes de Menashe”. Bereshit (Gênesis) 48:17-20.

Agora vejamos a pronunciação das bênçãos de Moshe, antes de sua morte: “E sobre Yossef disse: Bendita do Eterno seja a sua terra com as mais excelentes coisas dos céus, como o orvalho, com a fertilidade do abismo que jaz embaixo, com os mais excelentes produtos adoçados com o calor do sol, com os mais excelentes frutos amadurecidos pela influência da lua, com as primícias dos frutos amadurecidos nos seus montes, com os mais excelentes frutos que nunca cessam de crescer nas colinas, com o melhor da terra e do que há nela, e com a benevolência do Eterno que apareceu na sarça; que estas bênçãos recaiam sobre a cabeça de Yossef, e sobre o alto da cabeça daquele que foi separado de seus irmãos. Um grande rei sairá dele forte como o boi, e seus chifres serão como os do antílope; com eles escorneará povos juntamente, até as extremidades da terra. Eis as miríades de Efraim e os milhares de Menashe”. Devarim (Deuteronômio) 33:13-17.

Vemos aí que Yossef foi separado, ou consagrado, sobre seus irmãos, com uma benção toda especial. Porque?

 "Filho frutífero será Yossef, filho frutífero junto à fonte; moças andaram sobre a muralha para vê-lo. Os flecheiros o amarguraram, inimizaram-se com ele e o torturaram, mas seu arco permaneceu forte e seus braços foram fortalecidos pelas mãos do Todo-Poderoso de Yaacov, o Pastor do pai e dos filhos de Israel. Que o D'us de teu pai te ajude, e que o Todo-Poderoso te abençoe, com bênçãos dos céus no alto, com bênçãos do abismo que jaz em baixo e com bênção de pai e de mãe. As bênçãos de teu pai excederam as bênçãos de meus progenitores, até o término das colinas do mundo; elas serão sobre a cabeça de Yossef, sobre a cabeça daquele que foi separado de seus irmãos". Bereshit (Gênesis) 49:22-26.

Desde o retorno de Babilônia após 70 anos de cativeiro, com Esra e Neemyahu (Esdras e Neemias) e a construção do 2º Templo, no qual a Arca da Aliança já não estava presente e não continha a Sagrada Shechinah, os Rabinos Judeus têm mantido acesa a chama do Judaísmo Religioso.

Destarte, é necessário tornar claro alguns pontos importantes:

1 - A Espiritualidade ancestral dos Hebreus (Israelitas) NÃO É RELIGIÃO. O Judaísmo é Religião e, por isso mesmo criou o terreno fértil para o surgimento de Yeshivot (Escolas) rivais, como por exemplo, entre tantas, citamos a Escola de Hilel versus Escola de Shamai, por serem as mais influentes na época (2.000 anos atrás), em Eretz Israel, onde foi escrito o Talmud Yerushalmi. Haviam Yeshivot importantes em Babilônia, onde se produziu o Talmud Bavli, o mais popular e mais extenso. Foi criado um terreno tão fértil que propiciou o surgimento de muitas seitas Judaicas e o próprio cristianismo. Veja "Judeus na Idolatria?"

São tantas seitas Judaicas! Os Karaítas*, os Samaritanos, o Chassidismo, os Reformistas, Conservadores, Liberais, e por aí afora. Isto em detrimento do Judaísmo Ortodoxo dos Sefaraditas, Askenazitas,  Teymanitas, Falashitas e etc. Cada qual com suas tradições e liturgia próprias. Quanto ao Cristianismo, nem se fala, este, pariu e deu cria às milhares de seitas ocidentais. Por último, eis que surgem sinagogas(?!) de "Judeus-Messiânicos" pretendendo fazer sincretismo religioso judaico-cristão, evangelizando judeus seculares. Existe outra seita mais ousada: o chamado "Triângulo Dourado", fazendo um sincretismo entre o Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo. É brincadeira! Parece muito Cômico mas é verdade e é trágico.

*Os Karaítas e os Samaritanos, me parecem mais saudáveis, por rejeitarem o Talmud com seu amontoado de Chalachot, que são mandamentos humanos, e ficam com a Torah na forma mais antiga e mais pura.

Vale lembrar que a Espiritualidade é Divina, enquanto que a Religião é do homem, é humana. Os maiores desatinos e bestialidades engendrados pela loucura humana, as páginas mais negras da História da Humanidade, foram perpetrados pela Religião. Alguém denominou com razão, a Religião como "Ópio da Humanidade".

2 - Na Torah não menciona Rabinos. Os Kohanim (Sacerdotes da Tribo de Levi) eram responsáveis, de acordo com a Ordem do Eterno, pelo ensino da Torah e a Espiritualidade. Também, nos Tempos do 1º Templo não existiam Rabinos. A verdadeira Espiritualidade dos Hebreus é aquela dos "Hebreus do Deserto".

3 - Judeu = Tribo de Judá.

Judaísmo = Religião dos Judeus. Não representa de forma alguma a Espiritualidade dos Hebreus como um todo: as 12 Tribos dos filhos de ISRAEL.

Mas, voltemos pois, ao estudo das Profecias.

Vejam este versículo de Bereshit: "O Cetro (Realeza) não será tirado de Judá, nem o Príncipe de sua descendência, até que venha Shiló, até que venha a quem ele pertence de direito e a quem os povos devem obediência."  Bereshit (Gênesis) 49:10.

Outra tradução diz: "O Poder não será tirado de Judá, nem o Bastão de comando dentre seus pés, até que venha Shiló, e a ele a reunião de povos seguirá."

Há uma outra versão que diz: "O Cetro não se afastará de Judá, nem o Bastão de comando de entre seus pés, até que venha Aquele a quem pertence; a Este obedecerão os povos"! 

 

O verso 10 de Gênesis 49 explica o verso 19 de Gênesis 48:
 
"contudo o seu irmão menor (Efraim) será maior que ele, e a sua descendência será a plenitude dos povos." Gênesis 48:19
 
"e a ele se congregarão os povos."
Gênesis 49:10
 
Quando o cetro estiver na mão daquele a quem pertence de direito (um descendente de Yusef, da tribo de Efraim), o caos dará a vez a Plenitude da humanidade. Isso está prometido: "e a sua descendência será a plenitude dos povos." Gênesis 48:19. (Efrayim Ifrem - Comunidade Israelita).
 

O que significa isso? Que papel representa Judá nesse ajuntamento de Povos? Veja: Há um ajuntamento de Povos perante Efraim, filho de Yossef. Isso já se torna evidente. Na profecia está claro que há um Monarca (Mashiach) que virá e o descendente de Judá deve lhe entregar o Poder.

Yaacov (Jacó) reivindicou os filhos de Yossef para si (Efraim e Menashe) e lhes deu a primogenitura. Veja Bereshit (Gênesis) 48:5 e Yermiahu (Jeremias) 31:9.

Vejam que Shiló é a cidade onde a Arca da Aliança permaneceu por mais de dois Séculos antes que David a buscasse, sofrendo graves acidentes no percurso até Yerushalayim (Jerusalém). Não esqueçam também que a Arca da Aliança não estava no Templo dos Rabinos (2º Templo).

O Rabino Yossef de Oliveira, em suas palavras acima, inverteu os papéis desempenhados pelo Mashiach ben Yossef e o Mashiach ben David. Ele diz que o Mashiach ben Yossef vem primeiro e morre. Afinal de contas, é o Talmud que diz isto. Ele é Talmudista e está na dele!

Na Torah, no entanto, está dito que o Mashiach ben David vem primeiro e deve, no devido tempo e circunstância, entregar o Cetro do Reinado ao Mashiach ben Yossef. Confira mais uma vez o texto:  "O Cetro não se afastará de Judá, nem o Bastão de comando de entre seus pés, até que venha Aquele a quem pertence; a Este obedecerão os povos"! Bereshit (Gênesis) 49:10.

Mashiach ben Yossef é descendente de Efraim. Sabemos que Efraim é uma das 10 Tribos perdidas de Israel. Há indícios de que a Tribo de Efraim são os Índios Taínos, de Porto Rico. Confiram neste Site: AS TRIBOS PERDIDAS DE YISRAEL FORAM ENCONTRADAS – PARTE 10 – EPHRAYIM E MENASHE (EFRAIM E MANASSÉS).

Sobre este assunto, há muitos Mistérios.

Acredito que o leitor compreendeu bem a respeito de quem foi transpassado em Zechariah (Zacarias) 12:10, e sobre quem choram. 

Sobre Zacarias 13:6

Pessoas me escreveram pedindo explicações sobre Zacarias 13:6, cujo texto, de acordo com a teologia cristâ, tem vínculo com Zacarias 12:10 na esposição de sua ideologia. 

Por isto, estou postando aqui, um adendo sobre este assunto, incluindo o texto Hebraico e sua tradução. 

 

O texto diz: "E se alguém lhe disser: 'Que feridas são estas entre as tuas mãos?' Dirá ele: 'São as feridas com que fui ferido em casa dos meus amigos'."

Veja o Original Hebraico:

ו וְאָמַר אֵלָיו, מָה הַמַּכּוֹת הָאֵלֶּה בֵּין יָדֶיךָ; וְאָמַר, אֲשֶׁר הֻכֵּיתִי בֵּית מְאַהֲבָי.  {פ}

Esta é a esplicação do Rabino Yossef de Oliveira  no script deste verso em sua tradução da Bíblia Hebraica. Veja pois a fonte:  https://www.judaismo-iberico.org/interlinear/tanakh/2313PT.HTM .

Veja que isto se refere, conforme os versos anteriores, ao falso profeta. Os pobres pacóvios que se amarram em "verdades" que inventaram por sentimentalismo, desfazendo-se do contexto nas palavras do Profeta, e o relato de um traidor foi forjado segundo o escrito aqui, desfazendo-se igualmente do contexto. A pessoa que pensam haver-se cumprido nele estas palavras, morrera antes do domínio Romano, e não nos dias que pensa o Ocidente Cristão. Melhor prova seria lembrar que nos dias em que citam que este foi julgado, o Chefe do Sinédrio era Hilel, e jamais existiu entre nós (Judeus), um que se chamasse "Anás".


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!