Disse Jesus/Yehoshu'a: "Eis que venho como Ladrão"

 

Maguén David - Estrela Macrocósmica que representa a Lei 

Ordem Teocrática na Terra

Ordem Mística de Melki-Tsedek

 Versos Áureos do Novo Testamento:

Eis que venho como ladrão.”

Apocalipse 16:15.

E disse Jesus: “Eis que vos envio à colher onde não semeastes;

Outros plantaram e vós entrastes em seus trabalhos.”

João 4:38.

Segundo a Teologia Cristã Jesus na suposta segunda vinda virá da forma como

mostra esta fantasiosa imagem. Aqui mostra ele com uma foice de 

colheita em sua mão. É uma imagem com muita luz. 

Quem já bebeu Ayahuaska sabe que uma experiência de Luz pode numa

fração de segundo virar densas trevas. Reflita sobre estas duas imagens.

COLHENDO O QUE NÃO PLANTOU. Veja minha Página:

"Ayahuaska - Plantas de Poder"

Apesar de eu condenar peremptoriamente o Novo Testamento como a maior obra enganosa e a maior fraude da História da Humanidade, resolvi fazer um Estudo seguindo uma linha de raciocínio baseada em seus versículos.

Tenho dito, frisado e reprisado, em todas as minhas Páginas e matérias postadas em meu Site, que ROMA é o anagrama do AMOR.

O que é o contrário do amor?

É óbvio e notório que o contrário do amor é o ódio com todo o seu rosário de bagagens, acessórios e respectivas conseqüências, a saber: o roubo, a pilhagem, as invasões do alheio, a perseguição, intolerância, o fundamentalismo religioso e político, a morte, a injustiça mascarada de justiça bem como a injustiça desmascarada e descarada mesmo, a morte e, enfim, todas as coisas ruins e perversas que a mente corrompida do homem dito civilizado pode conceber.

E esta tem sido ao longo dos Séculos a característica marcante de ROMA.

Roma como Império, como República, como Estado, como Igreja ou de qualquer forma com a qual se manifeste, é sempre a mesma ROMA, cujo símbolo é a Lôba Capitolina e cujo número é 666. Veja nossa Página “666 - A Marca de Fogo do Cristianismo".

Em minhas Páginas “Contradições do Novo Testamento”, bem como em “Jesus/Yeshua/Yehoshu’a não é M ashiach (Messias)” e “Esquadrinhando as Traduções e Compilações Bíblicas”, deixei claro o fato de que o Novo Testamento é engendrado por Roma. É obra e Patrimônio Cultural de Roma. Quer dizer: O Cristianismo acredita e ensina, ou melhor, obriga as pessoas a acreditarem que:

1º - Jesus é deus,

2º - Sacrificado pela humanidade,

3º - Você deve por obrigação pregar isto à todo o mundo; à todas as Nações e Povos.

 

É aí que se cumpre as palavras de Jesus, que manda colher onde não plantou. O missionário, seja leigo ou teólogo, sai com uma Bíblia embaixo do braço e viaja para campos distantes, visitando roças e lavouras alheias, colhendo o que não plantou. É assim que, cumprindo a “ordem” de Jesus, ele colhe (rouba) as almas dos campos do Eterno.

Afinal, todos sabemos que quem entra à fazer a colheita na lavoura alheia é, literalmente, “ladrão”.  

O Eterno é o Criador, dono e Rei deste Mundo, e Jesus chegou de outro mundo (é alienígena) e de outro reino (João 18:36) dizendo: “Eis que venho como Ladrão” (Apocalipse 16:15), e “eu enviei-vos a segar o que vós não trabalhastes; outros trabalharam e vós entrastes nos seus trabalhos” (João 4:38). Jesus ainda rezou e, em sua oração referia-se a seus discípulos dizendo: “Eles não são do mundo, como também eu não sou do mundo” (João 17:16). Diz ele ainda: “...vós não sois do mundo” (João 15:19).

Ora! Se não são deste mundo, porque cargas d’água estão aqui? A fazer o quê? 

Veja que se trata de uma batalha Cósmica inter-planetária e inter-dimensional. 

É uma quadrilha de assaltantes alienígenas do mal que invadem o mundo para “roubar, matar e destruir” (João 10:10).  

Avança tanto em seu maléfico intento que chegam a se constituir em uma nação: ROMA. Segundo a lenda Roma foi fundada por Rômulo e Remo que, ainda recém nascidos, foram encontrados abandonados à margem do Rio Tibre, por uma Loba que os amamentou. Alienígenas!?!?!?

Juntando esta lenda com os textos acima citados de Jesus afirmando não ser deste mundo e vir como ladrão; e afirmando que os seus não são deste mundo; juntando ainda a lenda germânica da Ilha de Thule, localizada em uma região inter-dimensional entre o céu e a terra. Juntando também a lenda de Mateus que relata Jesus sendo filho de uma mulher que aparece grávida em casa dizendo para o marido que ficara prenha de um ser espiritual vindo do céu. Isto tudo pinta um quadro de Jesus como um deus-astronauta! Invasão alienígena sim!

Pois bem. As coisas começam a fazer sentido. Tendo sido constituída uma nação (ROMA), esta se prepara para a conquista do mundo.

Roma não possui cultura própria senão se apropriando dos valores culturais dos povos conquistados. Toma Filosofia e Cosmogênese dos Gregos; A Teurgia e Mitologia dos Persas e Celtas; a Liturgia e corpo doutrinário Teológico dos Hebreus, e por aí afora. Basta dizer que a Liturgia das Horas é uma contrafação do Sidur Judaico.

O Novo Testamento foi criado por Roma, por ocasião do Concílio de Nicéia com textos gregos e posteriormente traduzido por Gerônimo para o Latim. Ao longo de diversos Concílios foi sendo moldado aos interesses imperialistas de Roma.

Somente a Ciência da Jurisprudência é predominantemente Romana com um toque suficientemente “técnico” do ensino da Escola Grega. Quem vai para uma Faculdade estudar Direito está na verdade estudando “Direito Romano”. Roma vendou os olhos da Justiça para que seus métodos civilizatórios escusos não sejam vistos. Uma Justiça que, sendo cega não pode se livrar da picada da Serpente e nem fazer uso justo da Balança, nem da Espada. Uma piada de mau gosto e muito trágica. 

 

 Com esta tendenciosa e malformada estrutura sócio-econômica-cultural, formou-se, desde a Idade Média para cá, esta pseudo-civilização verniz que estamos chafurdados no meio dela e, pior, somos escravos de seu Sistema Econômico altamente corrupto. A vida humana não tem mais valor do que uma pipoca mal arrebentada.

Cumpre-se ao pé da letra o que, segundo o Novo Testamento, Jesus/Yehoshu’a disse: “Venho como ladrão e vos enviei à colher o que não semeastes”.

 

Terras foram roubadas e seus povos escravizados, tendo seus Sábios mortos e suas mulheres estupradas e seqüestradas. Povos inteiros foram completamente dizimados e extintos. Nações poderosas foram formadas em cima das terras roubadas.

Mas o crime mais hediondo remonta ao domínio Espiritual, pois mesmo depois que alguns destes povos e etnias conseguem a duras penas, a reconquista de sua soberania política, economicamente estão arrasados e suas almas estão escravizadas à falsa religião. São cristãos. Esta última parte são poucos os que conseguem exergar.

Suas almas foram roubadas. Sua cultura, seu idioma, sua dignidade, seus bens mais preciosos, tudo, TUDO, foi ROUBADO.

SUAS ALMAS FORAM ROUBADAS.

Uma quadrilha de Alienígenas malvados e ladrões, a tudo roubou e deixou em troca a idolatria e vontade de ir para o “céu”. Um “céu” que ninguém conhece e nem sabe definir o que é mas mesmo assim desejam com toda ansiedade ir para lá.

O cristão é pois, LADRÃO DE ALMAS. Rouba-as nos Campos do Eterno.

 

Algum teólogo poderá eventualmente argumentar que os versículos citados se interpretam espiritualmente. Eu respondo que o roubo em lavoura alheia engloba tudo o que um missionário pregador pode fazer em uma comunidade nativa. O religioso é um abridor de picadas. Com a sua pregação ele faz do convertido um cego. Cegado pela idolatria do deus-morto, o pobre nativo estará vulnerável para a chegada do grileiro de terras, do garimpeiro, do comerciante de todo tipo de bugigangas, incluindo as bebidas álcoolicas. E... por aí afora.

Vale lembrar porém que, o trabalho do tal missionário é vitalício. Ele como bom cristão, “honesto” e muito “preocupado” com a exploração da qual o Indígena está sendo vítima, continua sua obra dando um jeitinho de se passar como “salvador da pátria”, defendendo o pobre nativo contra as ganas insanas dos exploradores de minérios e outros tantos. As vezes ele faz isto às custas da própria vida. Ele é um bom cristão. Acredita realmente no que faz. É preciso compreender que o missionário também é uma miserável vítima do “Sistema” tão engenhosamente arquitetado e fortalecido ao longo de muitas gerações de uma falsa civilização centrada na corrupção. Roma soube alimentar o Sistema.

Outro teólogo, talvez mais ousado, destes que em geral se contam entre os líderes religiosos e que são os mais perigosos baluartes do Sistema, poderá dizer que eu fiz uma montagem arbitrária destes versículos para forçar uma linha de raciocínio.

Como resposta quero dizer que, os Rabinos Judeus dizem que a Torah tem 70 interpretações diferentes e todas corretas.

Quanto ao Novo Testamento, com tantas confusões que ele contém, permite 7 vezes 70 interpretações. Ou mais... Quer uma prova simples e muito óbvia? Pois sim? Dê uma voltinha ao redor das grandes cidades, de preferência nos bairros mais periféricos, e verás o estonteante número de igrejas de diferentes ministérios, alguns com títulos curiosamente ridículos e idiotas. Cada um destes ministérios interpretam à sua maneira peculiar os versículos do Novo Testamento. Existe até uma igreja na qual os obreiros são proibidos de usar bigode. É preciso ter a cara lisa!!! Eu não sei em que texto da Bíblia se baseia tal doutrina pacóvia e exótica, mas eles garantem que a doutrina é bíblica. Encontrei também uma igreja em Anápolis-GO que proíbe aos seus membros o uso de sabonete!!! Me recuso a comentar tal sandice. 

Diante de tantas interpretações eu me reservo o direito de ter a minha própria interpretação que é justamente esta: Jesus veio de outro mundo, como ladrão, e mandou seus discípulos roubarem na roça alheia. Ele disse que seus discípulos também eram de outro mundo!

Ele aliciou seus discípulos e os transformou em seres de outro mundo (mutantes)? Ou seus discípulos eram sua comitiva vinda de outro mundo junto com ele como guarnição?

O fato é que Jesus disse que seus discípulos, os cristãos, não são deste mundo (João 15:19) e Paulo ensina enfaticamente que os cristãos batizados se tornam nova criatura (II Coríntios 5:17), nova massa (I Coríntios 5:7), novo homem (Efésios 4:24), se desfaz da Torah e vira um novo homem (Efésios 2:15).

Aqui se acha implícita a idéia de os cristãos serem seres mutantes. Este negócio de “nova massa” e “novo homem” dá uma idéia clara para quem não é escravo de “bitola”, “antolhos” e que não tem preguiça de pensar, de que houve uma mutação do código genético. Tanto é que existe o ensino, mormente entre os modernos cultos pentecostais, que dá muita ênfase ao “poder do Sangue de Jesus” e que este causa mudança de Natureza.

Aqui aparece o assim chamado mistério da Eucaristia, o qual para mim é um dos mais terríveis rituais de Magia Negra. Terrivelmente maligno. E estes ministros de Roma ainda se dirigem aos Xamãs e Pajés e os chamam de Feiticeiros. É preciso lembrar e nunca esquecer que, milhares de Xamãs foram assados vivos nas fogueiras da Inquisição por estes mesmos ministros negros de Roma. Veja minha Página: “Inquisição – Visão Xamânica”.

Disse Jesus/Yehoshu’a: “Em verdade, em verdade vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós” (João 6:54).

Um Sacerdote Xamã que vive a perfeita Harmonia da Mãe Natureza vê neste perverso ritual uma impura mandraca fetichista e bárbara.

Continuando as citações sanguinolentas, Pedro diz que os crentes são resgatados de sua vã maneira de viver recebida dos pais, pelo preço do sangue daquele homem. E o chama de cordeiro imaculado (I Pedro 1:19)!

Em Apocalipse 19:9-13 fala de um cavaleiro cósmico com olhos de fogo vestido com um manto salpicado de sangue. Sangue de um sacrifício humano. Saiba que o sacrifício humano é a pior das abominações. Um homem não paga o preço de outro homem.

Resumindo, o ser humano, no caso do Judeu, se desfaz da Torah de Israel; no caso do Nativo das 70 Nações, se desfaz da Sabedoria Ancestral dos Antigos, dos Pais, para um estranho processo de mutação em nova criatura com nova massa corporal (mutação genética) e metamorfosear-se em novo homem (mutação espiritual). Quer dizer, trata-se de uma ocorrência mutante de corpo e alma, ou seja, do Ser como um TODO. Outra Natureza, contrária à dos filhos de Adam. É uma criatura mutante e alienígena, programada para roubar a colheita na seara alheia.

Assim formou-se a pseudo civilização cristã indo-européia composta com estes seres tipos “zumbis” intelectualizados que estão abaixo do nível dos animais mamíferos e em total desarmonia com a Mãe Natureza.

Uma civilização que não funciona. Uma sociedade que produz frutos podres onde ninguém confia e nem pode confiar em ninguém e todo mundo tem medo de todo mundo. Isto não é civilização. É uma loucura desvairada. É fruto da dita transformação proposta pelo cristianismo e seu Novo Testamento.

Você que lê estas palavras, se porventura achar que fiz uma montagem e interpretação arbitrária dos textos do Novo Testamento e se porventura eu estou errado, então eu digo que o Novo Testamento é mais perigoso e mais mentiroso do que eu imaginava.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!